Esse post você já deve ter lido em mil e um lugares pela internet, mas o legal dele é que cada um insere na própria vida um hábito/costume diferente e, assim, sempre há algo novo a conhecer. Então não pule esse post e aproveita pra conhecer um pouco mais sobre os alemães.

 

1. Andar sempre com lencinhos na bolsa:
Sim, alemães sempre têm lencinhos de papel na bolsa ou bolso. Tudo bem que eles reutilizam demais os lencinhos. Mas isso é assunto pra outro dia. Por aqui assoar o nariz na frente dos outros é normal e eu, como boa alérgica que sou,  acho fantástico. De vez em quando eles exageram e parecem estar tocando um trompete ao assoar o nariz? Sim, exageram. Mas algo que devo concordar com eles é que é melhor assoar do que ficar puxando a meleca pra dentro e engolir. Acho que entre os dois mundos, a gente acha um equilíbrio: assoar o nariz um pouco mais delicadamente e evitar fazer isso na presença de amigos que ainda não estão acostumados, por exemplo.

 

2. Não entrar de sapatos em casa:
Esse ponto é um pouco injusto com o Brasil porque eu já fazia isso lá, mas não ligava se as visitas não tiravam o sapato. Aqui as visitas precisam e devem tirar o sapato, o que eu acho maravilhoso! Sapatos além de carregar toda a sujeira da rua, no inverno com a neve podem causar uma melequeira pela casa. Nada melhor do que montar um lugarzinho fofo na entrada para eles e manter a casa limpinha.

 

3. Fazer tudo de bicicleta:
Visto que as cidades aqui possuem muitas ciclovias e, em geral, os motoristas são muito respeitosos, andar de bike é uma maravilha. Acrescento o fato de que Munique é muito plana, então, andar de bike por aqui é “topzera” como diz o povo. Vai ao médico? Bike! Mercado? Bike! Trabalho? Bike!
Melhor que o sistema de transporte público só bike, porque permite você fazer seu horário.

 

4. Carregar sempre uma garrafa de água:
Alemães estão sempre com suas garrafas de água e se você pensa que são garrafas de 500ml, está muito enganado. Por aqui é garrafa de dois litros, porque quanto mais hidratado, melhor. Eu ainda não alemanizei ao ponto de andar com uma garrafa maior do que eu, mas com uma garrafinha na bolsa, ah sim! Uma dica importante: a água na Alemanha é potável, então pode ser bebida direto da torneira. Logo, se você estiver no banheiro e vir alguém enchendo a garrafa na torneira, não estranhe. Isso é absolutamente normal.

 

5. Comer legumes no café da manhã:
Claro que nem todo alemão tem esse costume, mas aqui na Baviera é bem comum que as pessoas acrescentem legumes ao café da manhã. Principalmente quando a família tem crianças. E trabalhando com elas que naturalizei mais ainda o hábito de ter no prato do café da manhã cenouras, tomates, pepinos… Parece estanho, mas na verdade, é fantástico. Porque é leve e garante mais uns alimentos saudáveis no cardápio do seu dia!

 

 

 

6. Aproveitar a vida, independente da previsão meteorológica:
Alemão tem um ditado que diz: “Não existe tempo ruim, existe a roupa errada”. Meus amores, é isso. Acabei esse tópico.
Brincadeira! Vamos continuar… Isso foi algo que aprendi aos trancos e barrancos, afinal, metade do ano ou mais faz frio na Alemanha. Nem sempre é frio de congelar, mas é frio de não poder sair de camiseta e bermuda. Agora imagina deixar de viver cerca de 6 meses porque está frio lá fora! Inconcebível, né? Trabalhando com crianças, percebi que alemães aprendem desde cedo a não ter medo do mau tempo. É comum que as crianças saiam pela cidade debaixo de chuva ou mesmo neve. Todos bem vestidinhos, é claro. E vou te contar, eles adoram!
Ah, e esse apreço por aproveitar a vida está presente também nos dias ensolarados. Como o sol aqui é figurinha rara, não existe a possibilidade de fazer sol e a gente ficar em casa. Seja uma caminhada na rua, uma bicicletada, almoço na varanda ou mesmo sentar-se um pouco no sol, essa “iguaria” não pode passar despercebida.

 

7. Ser direto:
Alemães são diretos, objetivos e incluo a essa sentença, pontuais. E que ninguém confunda ser direto/sincero com ser grosseiro. Apesar de muitas vezes os alemães também confundirem isso. Por aqui aprendi que é muito melhor dizer sim ou não do que um talvez. Ninguém vai ficar triste se você negar um favor ou um convite, mas provavelmente se sentirá enganado se você ficar enrolando pra dar uma resposta quando já sabe que não irá ao compromisso, por exemplo. Negar um convite não é feio, feio é dizer que vai e faltar, sabendo desde o princípio que não iria. Isso eu já pensava desde o Brasil, mas aqui só me senti mais à vontade para ser mais objetiva.

 

8. Carregar uma sacola reutilizável:
Aqui as sacolas do supermercado são compradas e a cada centavinho de um “passeio” no mercado, seu bolso vai ficando mais vazio e o planeta mais poluído. Com isso, aprendi a andar sempre com uma sacola de tecido dentro da bolsa. Ou, quando estou muito alemã, saio carregando tudo na mão mesmo. Até porque ninguém se importa. Ninguém vai te olhar torto porque você não quis comprar uma sacola e está carregando tudo na mão, afinal de contas, quem pagou a conta foi você, né? E acredite, isso é mais normal do que você imagina!

 

9. Aceitar que nem toda doença precisa de remédio:
Parece engraçado esse tópico, mas é real e um pouco polêmico talvez! Não sei se posso dizer que isso é um hábito, acho que está mais para uma mudança de mentalidade. Mas, sendo um ou outro, é parte do dia a dia das pessoas.
Viroses, resfriados ou até mesmo uma gripe vão passar em alguns dias. Pra isso não é necessário vinte e cinco milhões de remédios e antibióticos. No Brasil, a qualquer sinal de mal estar, já tomamos mil remédios, mesmo que eles não sejam necessários.
Na Alemanha, aprendi que tempo, água, descanso e alguns remedinhos para os sintomas (dor, pastilha pra garganta e um fitoterápico) resolvem do mesmo jeito. No início foi estranho receber um “remédio de planta” a cada ida ao médico. Hoje em dia acho estranho se não tiver algum na receita e se junto com ela eu não receber meus dias pra dormir e me recuperar. Acredite, a frase que mais ouvi doente aqui foi: “Descanse, durma bastante e, claro, beba muita água”.
Obs: Se o médico julgar importante, ele te passará um remédio mais forte. Mas pra muitas coisas, eles são completamente desnecessários.

Agora que contei pra vocês um pouco do que a Alemanha nos trouxe, quero saber que hábitos vocês adquiriram morando em outro país ou mesmo que hábitos vocês já cultivam no Brasil.
Conta pra gente <3! Vamos adorar ler sua história.

Um abraço,
Os Farofas

Categories: Curiosidades

Os farofas

No final do ano de 2016, mais especificamente no mês de outubro, nos mudamos para a cidade de Munique, na Alemanha. Deixamos para trás alguns planos e trouxemos outros na bagagem. Dois Farofas Na Alemanha​ é uma página para falar da nossa experiência vivendo pela primeira vez fora do país, o contato com a nova cultura, as estranhezas, as descobertas, os sentimentos, a comida, as curiosidades e tudo mais que envolve o dia-a-dia de dois expatriados que carregam no peito e na vida a farofada que é o Brasil. Seja muito bem-vindo por aqui! Daiane e Hébert

2 Comments

Juliana Pippig · July 22, 2020 at 5:57 pm

Confirmadíssimo tudo que foi dito. Dei boas risadas lendo e percebendo que realmente adquirir esses hábitos também. Saudade de vcs no insta. Bjos e obrigada pelo blog

    Os farofas · July 26, 2020 at 11:23 am

    Own, meu amor! Fico feliz que você tenha gostado do post! Obrigada pelo carinho e pelo comentário!
    Saudades!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *